Logo LAAD 2017

Rio 2016: No ranking militar, Brasil ocupou terceiro lugar em número de medalhas

De acordo com o Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM) pelo menos 23 países, incluindo Estados Unidos, Rússia e a China, tiveram militares participando dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Essa lista inclui naturalmente o Brasil, que, além de conseguir ultrapassar as metas estabelecidas pelo Ministério da Defesa para as Olimpíadas, ao classificar 145 atletas e conquistar 13 medalhas, ocupou o terceiro lugar no ranking de medalhas obtidas por militares, ficando atrás apenas da Alemanha, com 18 pódios, e da Itália, com 15.

“O Brasil, assim como outros países participantes dos Jogos Rio 2016, contou com o esforço de atletas militares para alcançar excepcionais resultados nas Olimpíadas. Isso reforça a relevância do apoio das Forças Armadas como contribuição ao esporte mundial”, destaca o diretor do Departamento de Desporto Militar do Ministério da Defesa, almirante Paulo Zuccaro.

No quadro geral das Olimpíadas, cerca de 10% das medalhas foram conquistadas por atletas militares. Das 19 medalhas brasileiras, 68% foram alcançadas por atletas da Marinha, do Exército e da Força Aérea Brasileira. A Alemanha ganhou 42 medalhas, sendo 43% desse número oriundas das provas disputadas por militares. A Itália somou 28 medalhas, das quais 53% também foram obtidas por atletas das Forças Armadas italianas.

Cerca de 30% do Time Brasil foi composto por atletas integrantes do Programa de Alto Rendimento do Ministério da Defesa (PAAR).

O presidente do CISM, coronel Abdulhakeem Alshano, agradeceu a participação de todos os atletas militares nesta Olimpíada. “Os atletas militares conseguiram resultados positivos e deram uma contribuição enorme para os esportes em nível internacional”, destacou.

 

PAAR

O Programa Atletas de Alto Rendimento está consolidado e o objetivo é que permaneça como fator indutor do desenvolvimento do esporte competitivo das Forças Armadas, contribuindo para que o Brasil seja um protagonista mundial no desporto olímpico e não olímpico.

À luz dos resultados obtidos nesta edição do Jogos Olímpicos, o Ministério da Defesa está refinando seu planejamento para o ciclo de 2016 a 2020, visando os Jogos Mundiais Militares de 2019 e os Jogos Olímpicos de 2020.

 

Fonte: Ministério da Defesa